Familiares de vítimas da gripe criticam governo tailandês

A família da última vítima fatal da gripe aviária na Tailândia acusou o governo de tentar abafar o caso para evitar alarme. Familiares do granjeiro de 48 anos que morreu na quinta-feira, depois de ter comido carne de frango infectada, disseram que as autoridades tentaram evitar que eles divulgassem a causa da morte.Segundo a imprensa local, o governo tentou impedir a divulgação para evitar repercussões negativas no país. Funcionários deslocados a Kanchanaburi, local de origem da vítima, explicaram que houve falta de inspeção adequada e instruções sobre ações preventivas do mal.De acordo com as autoridades de Bangcoc, a morte eleva para 13 o número de mortos por causa da gripe aviária, no país.O ministro do Interior, Kongsak Wanthana, anunciou um aumento da coordenação entre as agências centrais e o envio, para as províncias afetadas, de funcionários sanitários para supervisionar a situação.Segundo o ministro, os hospitais tailandeses que receberam nove suspeitos infectados por gripe aviária estão sobre forte controle sanitário. Um deles é o filho da vítima fatal de quinta-feira. Ao contrário de seu pai, ele não teve contato com o frango infectado pelo vírus H5N1, causador da doença.Além dos mortos na Tailândia, a gripe aviária matou 41 pessoas no Vietnã, quatro no Camboja e três na Indonésia, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

21 de outubro de 2005 | 17h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.