Fernando Henrique pode voltar sem assinar declaração

Se a declaração política dos chefes de Estado e de governo comprometendo-se a cumprir o Plano de Implementação da Agenda 21 não ficar pronta até terça-feira, o presidente Fernando Henrique Cardoso não a assinará. Fernando Henrique, que chega amanhã a Johannesburgo, antecipou sua volta, a pedido dos presidentes do Senado, Ramez Tebet (PMDB-MS), e da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG), que o acompanham na viagem. Os dois estão envolvidos nas negociações no Congresso e na campanha eleitoral. A cúpula se encerra na quarta-feira. Um lapso de sete horas e meia na agenda do presidente Fernando Henrique Cardoso alimenta especulações sobre o que ele faria entre sua chegada a Johannesburgo, programada para as 10h30 deste domingo (5h30 em Brasília), e uma reunião com presidentes sul-americanos, às 18h. A versão mais extravagante é a de que ele pretenderia ir a um safári fotográfico. Em seguida à reunião para coordenar as posições com os outros países sul-americanos, Fernando Henrique segue para uma mesa-redonda sobre a Nova Parceria para o Desenvolvimento da África (Nepad), na qual ele falará, na qualidade de presidente de turno do Mercosul. Na segunda-feira o presidente se reúne com o chanceler alemão, Gerhard Schröder, com o presidente da Ucrânia, Leonid Kuchma, e com o presidente da Comissão Européia, o italiano Romano Prodi. Ele falará, também, na sessão plenária dos chefes de Estado e de governo presentes à Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável. Veja o Especial Rio+10

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.