Feto só sente dor depois do sétimo mês de gravidez

Estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Califórnia, publicado nesta quarta-feira na revista da Associação Médica dos EUA, deve acirrar o debate entre partidários e opositores do aborto nos Estados Unidos. Os fetos, revela o estudo, são capazes de sentir dor somente nos últimos meses da gravidez. Assim, segundo os cientistas, a aplicação de analgésicos durante um aborto no quinto ou no sexto mês de gravidez não se justifica e pode colocar em perigo a saúde da mulher. Com base em centenas de relatórios médicos e estudos, os pesquisadores concluíram que os fetos são incapazes de sentir dor até o sétimo mês da gravidez. As estruturas cerebrais envolvidas na sensação de dor começam a formar-se muito antes, mas só funcionam nos últimos períodos da gravidez, assinalaram. Antes mesmo de ser publicado, muitos opositores do aborto questionaram as conclusões do estudo alegando que os dados são parciais. Desde que foi legalizado o aborto nos EUA, em 1973, seus opositores assinalaram que as mulheres que querem colocar fim a suagravidez de maneira artificial devem levar em conta a dor que podem provocar no feto. Também pediram que o governo americano promulgue leis que determinem a dor fetal durante a gravidez, de maneira a coibir o aborto nos EUA. Essa medida afetaria cerca de 18.000 abortos que seriamrealizados a cada ano nos Estados Unidos no quinto mês de gravidez ou depois.

Agencia Estado,

24 de agosto de 2005 | 01h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.