FHC defende proposta para uso de fontes renováveis

O presidente Fernando Henrique Cardoso, apresentou na Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável, a proposta brasileira de meta global de 10% de uso de fontes renováveis de energia. O presidente também fez um apelo a todos os países do mundo, principalmente para os que integram o G-8 - os sete países mais ricos e a Rússia - para que ratifiquem o protocolo de Kyoto, arrancando aplausos na platéia de chefes de Estados, de governos e delegados de 190 países.Fernando Henrique também fez menção ao acordo que o governo brasileiro está negociando com a Alemanha para o investimento de US$ 100 milhões na fabricação de 100 mil carros à álcool no Brasil. Antes de seu pronunciamento no plenário, Fernando Henrique conversou sobre o assunto com o chanceler alemão Gerhard Schröder. A expectativa do governo brasileiro é a de que esse acordo esteja concluído dentro de três meses.Na segunda metade da sessão plenária dos chefes de estado e de governo, Fernando Henrique passou a chefiar os trabalhos. O chanceler Schröder, o Primeiro Ministro britânico Tony Blair e o presidente francês Jacques Chirac também defenderam a ratificação do protocolo de Kyoto, que prevê a redução na emissão de gases poluentes. O primeiro ministro do Canadá, Jean Chrétien, anunciou que ratificará o protocolo até o fim do ano e que até 2003 cortará todas as tarifas de importação nos produtos dos países em desenvolvimento. Fim dos subsídios agrícolasSchröder anunciou também, a destinação de recursos da ordem de 500 milhões de euros para o desenvolvimento de fontes renováveis de energia nos países em desenvolvimento nos próximos cinco anos. E outros 500 milhões de euros para investimentos em projetos para aumentar a eficiência do uso da energia, além disso, Schröder e Blair fizeram um apelo pelo fim dos subsídios agrícolas.Veja o Especial Rio+10

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.