Fiéis esperam que papa possa revitalizar Igreja com valores simples

Peregrinos reunidos em Roma para a missa inaugural do papa Francisco, nesta terça-feira, expressaram esperança de que o novo pontífice reforme e revitalize a Igreja Católica, aproximando-a de pessoas comuns e com a atenção voltada a ajudar os pobres.

CATHERINE HORNBY, Reuters

19 Março 2013 | 11h38

"As ideias estão mudando sob Francisco. Os poderosos têm que entender finalmente que não se pode destruir o mundo por dinheiro", disse Francisca Fernandes, psicóloga que viajou a Roma da Patagônia, na Argentina, para a missa inaugural de seu conterrâneo.

As pessoas reunidas na Praça de São Pedro assistiram e aplaudiram enquanto Francisco passava pelo o local em um jipe ?branco ?aberto, parando para cumprimentar a multidão e beijar bebês. Muitos fieis ficaram impressionados com a postura do papa, de um pontífice aberto e acessível.

"Ele tem uma presença muito especial, seu sorriso e atitude. Sinto-me próximo a ele", disse Veronique Blaise, gerente de compras de 40 anos, de Paris. "Nós precisamos de alguém sincero e simples como ele para trazer de volta os valores tradicionais."

Cerca de 200 mil pessoas acenavam com bandeiras e cartazes na praça lotada para ouvir a homilia em que Francisco fez um apelo pela proteção do meio ambiente e a defesa dos mais fracos.

"Ele me tocou mais quando estava falando sobre os pobres, os doentes e os idosos, ele tem o mundo no coração", disse o reverendo Emmanuel Korsah, um padre de Gana que estuda Direito em uma universidade católica em Roma.

"Haverá um monte de desafios, mas ele realmente mostra que vai enfrentá-los, em nome de São Francisco e com o estilo de vida de simplicidade que quer viver", disse.

Outros notaram que o estilo humilde do papa jesuíta foi uma clara ruptura com o passado.

"O novo papa parece diferente. Ele está mais próximo dos jovens", disse Michele Del Grosso, um estudante de 17 anos, que viajou durante a noite de Olevano sul Tusciano, no sul da Itália para participar na missa.

O ex-cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio vem tentando imprimir em seu pontificado, até o momento, uma marca de simplicidade em seu papel como bispo de Roma, deixando de lado a pompa do Vaticano.

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAOPAPAFIEISMISSA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.