Fogo na Ilha de Alcatrazes põe autoridades em alerta

A notícia de que um incêndio atingiu a Ilha de Alcatrazes, no litoral norte paulista, deixou autoridades e organizações ambientais em alerta. O fogo foi visto, a olho nu, do continente, a mais de 35 quilômetros de distância, mas não se sabe a extensão dos danos. A Marinha confirmou o incêndio.A ilha, conhecida por abrigar uma série de espécies endêmicas, é usada como alvo para treinos de tiro da Marinha."Eu estava na praia no fim de tarde (terça-feira) e vi um reflexo dourado na ilha. Quando escureceu deu para notar que era fogo", relata a ecóloga Silvana Aseredo, que mora em São Sebastião e já participou de várias expedições de pesquisa na ilha.O Ibama, responsável pela Estação Ecológica Tupinambás, que cobre a ponta sul da ilha, tinha poucas informações. O órgão não tem barco para navegar em mar aberto e depende do aluguel de embarcações ou de pegar carona com expedições científicas para chegar até a ilha."Ainda não tivemos acesso ao local para ver o que aconteceu", disse na quarta-feira o chefe substituto da estação, Roberto Reis. "Mas, para tantas pessoas terem ligado, o incêndio deve ter sido significativo."Em nota, a Marinha informou: "Durante a realização de exercícios conduzidos por navios da Marinha na Ilha de Alcatrazes, na tarde do dia 30 de novembro, foi observado foco de incêndio na vegetação rasteira; tão logo observado o fato, o exercício foi prontamente interrompido e acionados os meios disponíveis para o combate."O fogo teria sido apagado rapidamente, mas a nota não especifica o tempo nem o tamanho da área atingida. "As causas do aparecimento deste foco de incêndio estão sendo averiguadas", conclui.A ilha abriga cerca de 20 espécies exclusivas de fauna e flora, como a jararaca-de-alcatrazes. Muitas são consideradas ameaçadas justamente pelo risco de um incêndio dizimar a população. Nenhum barco pode se aproximar da ilha sem autorização da Marinha."Temos uma expedição no dia 13. Acho que veremos só o cadáver", diz o coordenador do Projeto Alcatrazes da Sociedade de Defesa do Litoral Brasileiro, Fausto Pires de Campos.

Agencia Estado,

02 de dezembro de 2004 | 11h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.