Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Fotos divulgadas pela Nasa indicam idade do Universo

A Nasa divulgou ontem fotos impressionantes dos primeiros instantes do cosmos, tiradas pela sonda Wilkinson Microwave Anisotropy Probe (WMAP), que confirmam que nosso Universo tem cerca de 13.700 bilhões de anos de idade e está composto de somente 4% de átomos de matéria. ?Conseguimos uma imagem detalhada do Universo em sua infância e, graças a esta foto, seremos capazes de descrevê-lo com uma precisão sem precedentes?, disse Charles Bennett, chefe da missão do WMAP, lançada em 30 de junho de 2001, de Cabo Canaveral. Em órbita em torno de um ponto chamado Lagrange 2 (L2), a um milhão e meio de quilômetros da Terra, a missão da sonda é traçar um mapa do Universo, medindo com uma precisão de milionésimos de graus as ínfimas flutuações de temperatura (anisotropias) presentes no cosmos 400 milhões anos depois do Big-Bang, a grande explosão que deu origem ao Universo. Desta explosão inicial se conserva um rastro fóssil chamado ?fundo difuso cosmológico?, uma luz que nos chega hoje sob uma forma de irradiação de microondas a uma temperatura que beira - 270 ºC. Essa irradiação fóssil, que demorou mais de 13 milhões de anos para chegar até nosso momento, foi captada pela sonda, que observou durante 12 meses a esfera celeste em todas as suas minúcias. Uma das maiores surpresas reveladas por essas imagens é a descoberta de que as primeiras estrelas que brilharam no nosso Universo se ?iluminaram? cerca de 200 milhões de anos depois do Big-Bang, muito antes do que se pensava. Além disso, a nova imagem da infância do Universo permite situar mais precisamente sua idade em 13.700 bilhões de anos, com uma margem de erro surpreendentemente pequena de 1%. ?Estes dados são sólidos, uma verdadeira mina de ouro?, disse Bennett.

Agencia Estado,

12 de fevereiro de 2003 | 09h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.