Fumo diminui capacidade intelectual, diz estudo

Segundo estudo publicado pela Universidade de Michigan, o consumo contínuo de tabaco, assim como do álcool, torna o pensamento mais lento e reduz o coeficiente intelectual. A equipe de cientistas ratificou a conclusão de estudos anteriores, que relacionavam o alcoolismo a problemas na rapidez e na clareza da função cognitiva e a uma redução do coeficiente intelectual. No entanto, o trabalho revelou ainda que o consumo contínuo de tabaco tem um efeito similar."Os resultados deste estudo levarão os pesquisadores sobre o alcoolismo a reavaliar as informações que possuem sobre o impacto do tabagismo, um fator que geralmente não é levado em consideração nos estudos sobre os efeitos do alcoolismo no cérebro", disse a responsável pelo estudo, Jennifer Glass. "Entre 50% e 80% dos alcoólatras também fumam", acrescentou Glass, pesquisadora do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Michigan.Os resultados da pesquisa contradizem a crença de muitos fumantes de que um cigarro os ajuda a se concentrar, especialmente em momentos de muito trabalho ou estresse. Os pesquisadores analisaram a relação entre o consumo contínuo de tabaco e a redução na capacidade mental de 172 homens alcoólatras e não-alcoólatras."As conseqüências na memória, na capacidade de solução de problemas e no coeficiente intelectual foram maiores entre as pessoas que fumaram durante anos", acrescentou. O estudo indica ainda que "os alcoólatras que fumam apresentaram uma capacidade de pensamento ainda menor".

Agencia Estado,

12 de outubro de 2005 | 07h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.