<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1659995760901982&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Fumo passivo em danceteria vale por um mês

Passar quatro horas numa danceteria é o mesmo que conviver com um fumante durante um mês, segundo um estudo publicado na revista Tobacco Control. A pesquisa mediu os efeitos sobre os chamados fumantes passivos em lugares públicos de várias cidades do mundo e concluíram que as normas sobre áreas de fumantes e não fumantes não são eficazes."As áreas de não fumantes têm uma concentração menor de nicotina que as de fumantes, mas o nível de nicotina não é zero", o que indica que os efeitos do tabaco também são sentidos nas áreas onde é proibido fumar, ressalta o relatório.Entre as cidades pesquisadas estão Barcelona, Viena, Paris, Atenas, Florença, Porto (Portugal) e Orebro (Suécia).O estudo indica que "a nicotina está presente até em colégios e universidades", mas que os níveis mais altos desta substância sãoencontrados em bares, discotecas e restaurantes.Os especialistas também analisaram o comportamento dos fumantes e estabeleceram que as pessoas viciadas tendem a minimizar seus efeitos. Muitos fumantes não estabelecem nenhuma conexão entre o número de cigarros consumidos e o risco de desenvolver um câncer de pulmão.

Agencia Estado,

24 de fevereiro de 2005 | 09h47

Selecione uma opção abaixo para continuar lendo a notícia:
Já é assinante Estadão? Entrar
ou
Não é assinante?
Escolha o melhor plano para você:
Sem compromisso, cancele quando quiser
Digital Básica
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 9,90/mês a partir do segundo mês
  • Portal Estadão.
  • Aplicativo sem propaganda.
Digital Completa
R$
1, 90
/ mês
No primeiro mês
R$ 19,90/mês a partir do segundo mês
Benefícios Digital Básica +
  • Acervo Estadão 146 anos de história.
  • Réplica digital do jornal impresso.
Impresso + Digital
R$
22, 90
/ mês
No primeiro ano
R$ 56,90/mês a partir do segundo ano
Benefícios Digital Completa +
  • Jornal impresso aos finais de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.