G8 não avança em rascunho para acordo de redução de CO2

Uma fonte diplomática disse que 'o acordo do G8 vai ser fraco'; EUA e Japão não colaboram para cortes

Reuters

23 de junho de 2008 | 17h56

As maiores economias do mundo chegaram a um rascunho para acordo sobre emissões de gás carbônico (CO2) que será apresentado na reunião do G8 no mês que vem, disse nesta segunda-feira, 23, a Coréia do Sul. No entanto, fontes disseram que não há nenhuma decisão significativa no pacto. Membros do grupo das oito nações mais poderosas do mundo, outras oito nações significativas e a União Européia se reuniram em Seul durante o fim de semana buscando comprometimento a longo-prazo para o corte nas emissões de gases estufa. Uma fonte diplomática que pediu para não ser identificada disse: "O acordo do G8 vai ser fraco." O ministério do Exterior da Coréia do Sul não forneceu detalhes sobre a tentativa de acordo mas disse em declaração que ela incluia "metas de longo e médio prazo para reduzir a emissão de gases estufa, tranferência tecnológica e financiamentos." Os líderes do G8, que se encontrarão no mês que vem em Hokkaido, Japão, esperam formalizar um acordo iniciado no ano passado para cortar pela metade as emissões de CO2 até 2050.  Uma fonte que conhece as discussões realizadas em Seul disse que pequenos passos foram dados, enquanto os Estados Unidos e o Japão pareciam não querer dar grandes passos.  Os Estados Unidos disseram que vão aceitar cortes nas taxas de emissão, mas somente se outros grande emissores, como as China e a Índia, também concordarem, algo que até agora não aconteceu.  

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento globalG8

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.