Gás vaza de indústria paulista e se espalha por 10 km

Moradores das cidades de Jundiaí e Várzea Paulista levaram um grande susto no início da manhã desta quarta-feira. Uma falha na indústria química Elekeiroz, pertencente ao Grupo Itaú, provocou vazamento de óxido de enxofre. O gás provocou reações como irritação nos olhos e nas vias respiratórias. Ninguém precisou ser medicado. O gerente da Agência Ambiental de Jundiaí, da Companhia Estadual de Tecnologia e Saneamento Ambiental (CETESB),Domenico Tremaroli, afirmou que a empresa será multada em até 10 mil UFESPs, que hoje vale R$ 12,49 cada. A Eleikeirozinformou que realizou manutenção em oito células de produção de ácido sulfúrico, que durou 30 dias. Na hora de ligar osequipamentos, houve falha em um deles e provocou o vazamento para a atmosfera. Tremaroli explicou que a Elekeiroz não é uma ?empresa qualquer? e investe pesado em segurança e automação. A falha, segundo ele apurou, ocorreu no processamento da água para processamento do gás. O vazamento teria ocorrido das 6 às 7 horas e o gás permaneceu na atmosfera, devido a problemas de dissipação pelo horário. O óxido de enxofre podia ser visto a 10 quilômetros de distância, no sentido de Várzea Paulista para Jundiaí. "Agora orientamo-nos para algumas manutenções e quando forem reativar a produção, vamos acompanhar", explicouDomenico. Não há previsão para retomada da produção. Vigilância Sanitária e Defesa Civil também foram acionadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.