Geleira argentina racha em pleno inverno

A massa de gelo rachada divide em dois o chamado Lago Argentino atraindo turistas

Efe

04 de julho de 2008 | 19h22

A geleira Perito Moreno, na Patagônia argentina, iniciou um processo de ruptura incomum em pleno inverno austral, informaram à Agência Efe fontes da Administração de Parques Nacionais. Nas últimas horas, surgiu uma rachadura na parte da geleira que há sobre a península Magallanes, o que indica que o derretimento e o desmoronamento de gelo que ocorre nos verões a cada quatro ou cinco anos deverão ser grandes. A massa de gelo rachada divide em dois o chamado Lago Argentino, e a perspectiva de sua derrubada atrai milhares de turistas ao Parque Nacional das Geleiras, na província de Santa Cruz (sul). O fenômeno que compromete a geleira é provocado pela pressão da água sobre o gelo, que racha até se despedaçar. "É raro que aconteça um processo com estas características" no inverno, disse o diretor do parque, Carlos Corvalán, segundo quem "é muito difícil determinar" quando ocorrerá o desmoronamento de gigantescos blocos de gelo sobre o lago. "Isso depende das condições do vento e da umidade", acrescentou. A geleira Perito Moreno, de aproximadamente 200 quilômetros quadrados de extensão, é uma das poucas do mundo que se mantém estável, sem diminuir de tamanho por causa do aquecimento global.

Tudo o que sabemos sobre:
aquecimento globalargentina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.