Gelo do Ártico atinge o segundo menor nível já registrado

Ainda tendo várias semanas da estação de degelo pela frente, a perda de gelo pode bater o recorde

AP,

27 de agosto de 2008 | 14h16

O gelo sobre o Oceano Ártico derreteu ao segundo nível mais baixo já registrado desde que tiveram início os levantamentos por satélite, de acordo com cientistas do Centro Nacional de dados de Gelo e Neve do governo dos Estados Unidos.   O degelo no Oceano Ártico registrado nesta semana superou o de 2005, que era o segundo mais grave até hoje.   Ainda tendo várias semanas da estação de degelo pela frente, a perda de gelo no verão boreal de 2008 tem a chance de superar o recorde histórico de 2007, dizem os cientistas.   Grupos ambientalistas afirmam que o degelo é mais um sinal de alerta para o aquecimento global. "É um sinal infeliz de que a mudança climática está chegando depressa ao Ártico e que realmente precisamos atacar a questão do aquecimento global em nível nacional", disse Christopher Krenz, gerente de projetos da organização Oceana.   "Isto não surpreende, mas assusta", disse Deborah Williams, ex-assistente especial do Departamento de Interior para Alasca. "Este foi um verão relativamente fresco, e ver o gelo decrescendo à segunda menor mínima registrada demonstra que o impacto continuado do aquecimento global será profundo".   O Centro de Dados de gelo e Neve, baseado na Universidade do Colorado, informou que o gelo, na segunda-feira, 25, derreteu abaixo do mínimo de 5,3 milhões de quilômetros quadrados registrado em 21 de setembro de 2005. O dado apurado para 2008 é de 5,2 milhões de quilômetros quadrados. A menor mínima já registrada é de 4,2 milhões de quilômetros, registrada em setembro de 2007.

Tudo o que sabemos sobre:
árticoefeito estufadegelo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.