Gene pode explicar comportamento de risco

Pesquisadores americanos identificaram um gene que controlaria os comportamentos de risco nos seres humanos e explicaria por que alguns indivíduos se arriscam mais do que outros, de acordo com estudo na Proceedings of the National Academy of Sciences.O gene, apelidado de neuroD2, está ligado ao desenvolvimento da amígdala cerebelar, uma zona do cérebro em forma de amêndoa responsável pelas emoções e que também controla a formação da memória emocional, explicou James Olson, que lidera os trabalhos realizados no Centro Hutchinson, em Seattle.O neuroD2 também desempenha um papel importante na resposta do cérebro ao medo, acrescentam os especialistas.Olson e seus colegas destacaram o papel desempenhado por esse gene estudando ratos com uma única cópia do neuroD2. Todos esses animais se mostraram incapazes de formar uma memória emocional e de ter medo, observaram os pesquisadores."Todos nós sabemos por experiência que a gente se lembra melhor das coisas se elas forem memorizadas no momento em que se é sujeito de fortes emoções, como a raiva, o medo ou o fato de estar apaixonado", completou Olson. "Esse processo é a formação da memória dita emocional e a amígdala é a parte do cérebro onde se forma esta memória."A observação no microscópio mostrou que algumas partes da amígdala do cérebro dos ratos com uma única cópia do neuroD2 tinham menos células nervosas.

Agencia Estado,

27 de setembro de 2005 | 13h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.