Genética produz o camundongo mais idoso do mundo

Yoda, o camundongo mais velho do mundo, completou 4 anos de idade, o equivalente a 136 em termos humanos. Para ser um matusalém entre os roedores, este camundongo-anão passou por alterações genéticas em sua pituitária, na tireóide e teve sua produção de insulina reduzida, o que o deixou com um terço do tamanho normal e extremamente sensível ao frio.Quem mantém Yoda aquecido é sua companheira, a Princesa Léa, bem maior que ele. Em compensação, tem boa saúde, é bastante ágil e ativo sexualmente, segundo Richard Miller, diretor de pesquisa do Departamento de Geriatria da Faculdade de Medicina da Universidade de Michigan.Yoda vive em um laboratório com cerca de outros cem camundongos geriátricos, usados para estudos sobre longevidade. Um camundongo de laboratório vive em média pouco mais de dois anos.Os pesquisadores estão estudando os roedores mutantes para determinar como diferentes níveis hormonais podem retardar o processo de envelhecimento e descobrir um meio de aplicar os mesmos métodos a seres humanos.

Agencia Estado,

14 de abril de 2004 | 10h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.