AP
AP

Genoma humano tem marca profunda da Trindade, diz papa

Bento XVI afirmou que a prova 'mais forte' dessa marca genética é que 'só o amor o faz feliz'

Efe,

07 de junho de 2009 | 08h49

O papa Bento XVI disse neste domingo, 7, que o ser humano tem em seu próprio genoma "a marca profunda" da Trindade e disse que a prova "mais forte" do fato é que "só o amor o faz feliz".

 

O pontífice fez essa declaração diante de cerca de 50 mil pessoas que assistiram na Praça de São Pedro do Vaticano à reza do Ângelus, no dia em que a Igreja festeja a Santíssima Trindade.

 

O papa ressaltou que Jesus revelou ao homem que Deus é amor, "não na unidade de uma só pessoa, mas na Trindade de uma só substância, três pessoas que são um só Deus, porque o pai é amor, o filho é amor e o espírito é amor".

 

"A prova mais forte de que somos feitos à imagem da Trindade é esta: só o amor nos faz felizes, já que vivemos para amar e ser amados. Usando uma analogia sugerida pela biologia, podemos dizer que o ser humano tem em seu próprio genoma a marca profunda da Trindade, de Deus-amor", afirmou o pontífice.

 

Bento XVI acrescentou que Deus é "tudo e só amor, amor puríssimo, infinito e eterno".

 

O pontífice precisou que Deus "não vive em uma esplêndida solidão", mas, "ao contrário, é fonte inesgotável de vida que incessantemente se entrega e se comunica", e isso pode ser comprovado observando a terra, os planetas, as estrelas, as galáxias, as células, os átomos e as partículas elementares.

 

Em tudo isso - acrescentou - está impresso o nome da Trindade, "já que tudo provém do amor, tende ao amor e se movimenta empurrado pelo amor, naturalmente com diferentes graus de consciência e liberdade".

 

Bento XVI irá na próxima quinta-feira à Basílica de São João de Latrão, catedral de Roma, para presidir a solenidade do Corpus Christi.

 

Após a missa, presidirá pelas ruas do centro de Roma a tradicional procissão de Corpus Christi que percorre de São João de Latrão até a Basílica de Santa Maria Maior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.