Golfinho adota Santos como seu novo lar

Um golfinho, provavelmente fêmea, que apareceupela primeira vez em Ubatuba, litoral norte de São Paulo, está há seis meses na região da Baixada Santista. O animal daespécie ?nariz de garrafa? está sendo monitorado por grupos de resgate de animais marinhos como o Gremar e o Ceemara e oAquário Municipal de Santos, desde que apareceu no Canal de Bertioga . Há três meses, ele está se alimentando na orla dacidade, entre o canal 1 e a Ponta da Praia.Quem quiser ver o mamífero tem que acordar cedo, entre 5 e 6 horas da manhã ou no final da tarde, antes do anoitecerdefronte do Aquário ou nas imediações do quebra-mar (emissário submarino). Ontem, por exemplo, ele tomou seu café da manhã na Ponta da praia.A veterinária Andréa Maranho, da ong Gremar e do Aquário , monitora diariamente o golfinho, ?fazemos a inspeção decaiaque, queremos confirmar o sexo do animal e saber como estão suas condições de saúde?. Segundo a veterinária o animal está saudável e apresenta cicatrizes antigas pelo corpo. Como o golfinho não teme humanos, ele fica entre os surfistas junto ao quebra mar, a veterinária alerta para os perigos de uma aproximação maior, como querer segurar sua barbatana, cavalgar ou até mesmo acariciá-lo. ?Mesmo interagindo com as pessoas ele não é como o flipper, um golfinho condicionado. Este é selvagem e pode atacar, transmitir doenças por vírus e bactérias. Além disso, quem molestar o animal está cometendo um crime ambiental e pode até ser preso?, afirma.O grupo que acompanha o mamífero está estudando seu comportamento solitário. Eles acreditam que o animal deve tertido algum problema com o grupo familiar ? por dominância ou outro motivo, e se desgarrou. Mas a qualquer momento pode retornar, já que há registros desse procedimento.

Agencia Estado,

22 de junho de 2004 | 17h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.