Gore e Pachauri criticam paralisação de negociações em Bali

Os dois ganhadores do Nobel da Paz foram premiados por suas atividades na questão do aquecimento global

EFE,

12 de dezembro de 2007 | 17h37

O ex-vice-presidente dos Estados Unidos Al Gore e o economista indiano Rajendra Pachauri, ganhadoresdo Prêmio Nobel da Paz 2007, criticaram hoje a paralisação das negociações na Conferência das Nações Unidas sobre a Mudança Climática, em Bali, e pediram que se chegue a um acordo.      "Se não começarmos hoje, perderemos tempo. O contrário nos levaria à resignação, e a questão climática perderia espaço", afirmou hoje em Estocolmo Pachauri, que preside o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU, segundo a agência sueca TT.      Pachauri e Gore visitaram o Parlamento sueco e se reuniram com o primeiro-ministro, Fredrik Reinfeldt, seguindo o programa habitual dos ganhadores do Nobel da Paz, o único entregue em Oslo, na Noruega.      Gore lamentou a tentativa dos Estados Unidos de bloquear o processo de Bali, mas acredita que grandes mudanças ocorrerão na política ambiental do país, embora só depois das eleições presidenciais em 2008.      No entanto, o ex-vice-presidente disse que não está interessado em fazer parte de um hipotético governo democrata.      A assinatura de um novo acordo que substituirá o Protocolo de Kyoto deverá ser feita na cúpula mundial de Copenhague em 2009, segundo Gore.      Em seu discurso no Parlamento sueco, os premiados com o Nobel da Paz, que, após a visita, seguirão para Bali, alertaram pra os perigos da mudança climática e a importância de reduzir as emissões de gases do efeito estufa, segundo a TT.

Tudo o que sabemos sobre:
nobelefeito estufakyotoco2gore

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.