Governo controlará crédito a madeireiro e agricultor na Amazônia

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, disse nesta quarta-feira que os critérios para concessão de crédito pelos bancos e instituições públicas para agricultores, madeireiros e pecuaristas da Amazônia serão revistos. Ela informou que deverá ser anunciado ainda este ano um programa de combate ao desmatamento da Amazônia.?Boa parte da destruição da Amazônia acontecia financiada pelos instrumentos de crédito públicos, que vinham do Banco da Amazônia (Basa), da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), da Sudam (Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia) e até do BNDES?, disse, ao participar de audiência pública na Comissão da Amazônia da Câmara dos Deputados.Sustentabilidade ambientalDe acordo com a ministra, a revisão dos critérios para concessão dos financiamentos está em estado adiantado no Ministério da Integração Nacional. Segundo Marina Silva, para que um novo projeto na Amazônia receba dinheiro público deverá existir sustentabilidade ambiental, como manejo e reflorestamento, no caso da extração de madeira.Ela lembrou que, hoje, 96% do corte de madeira na Amazônia é feito de maneira não-sustentável, com corte raso e sem remanejamento e replantio. De a cordo com ela, os financiamentos para os projetos são também uma forma de inibir a exploração ilegal da floresta, além de ser o caminho para o desenvolvimento sustentável das comunidades locais.Programa contra desmatamento A ministra frisou que o programa contra o desmatamento da Amazônia será o resultado de propostas feitas por 11 ministérios, por governos estaduais e municipais e pela sociedade civil, pormeio de ONGs e entidades de classe. "Qualquer política ambiental que não se constitua em ação de governo, e não de apenas de um ou outro ministério, não dará conta dos grandes problemas que existem no País."O programa terá também ações focalizadas, segundo a ministra. "Nós sabemos que os Estados que mais contribuem para o desflorestamento da Amazônia são o Mato Grosso, Rondônia e o Pará, e que nesses Estados cerca de 50 municípios são responsáveis por 70% desse desmatamento. Então temos que focalizar a política", salientou.

Agencia Estado,

03 de dezembro de 2003 | 16h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.