Governo discute nesta 6ªF posição sobre transgênicos

Os representantes do grupo interministerial criado para discutir a posição do governo federal sobre os alimentos geneticamente modificados estarão reunidos nesta sexta-feira, às 17 horas, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto.Na reunião, o grupo deve fechar uma posição sobre a safra 2002/03 de soja transgênica do Rio Grande do Sul, estimada pelo ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, em cerca de 6 milhões de toneladas, volume que representa mais de 10% da produção nacional, prevista em 49 milhões detoneladas. O plantio e a comercialização de transgênicos são proibidos no País.As sementes que permitiram o plantio no Rio Grande do Sul devem ter sido contrabandeadas da Argentina, onde o plantio de alimentos geneticamente modificados é permitido. Favorável aos transgênicos antes de assumir o ministério da Agricultura, Rodrigues defendeu que o governo Lula tenha uma posição monolítica sobre o assunto.Embora a produção de transgênicos seja ilegal, Rodrigues manifestou-se contrário à possibilidade de destruição da soja geneticamente modificada do Rio Grande do Sul. Em entrevista recente, ele argumentou que era complicado destruir a safra gaúcha de soja transgênica ?num momento em que o País define como prioridade o programaFome Zero?.A bancada gaúcha fez, na semana passada, maratona pelos ministérios para impedir que o governo opte pela destruição da produção transgênica. A Federação de Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul) também defende a comercialização.No lado oposto da mesa está a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, que defendeu umapostura cautelosa do governo sobre os transgênicos. Além de definir o futuro da atualsafra gaúcha, o grupo interministerial definirá a postura do governo sobre os transgênicos, visando a liberação ou não do plantio nas próximas safras.O decreto que autoriza a criação do grupo saiu no dia 24 de fevereiro, e o grupo terá, a partir dapublicação, 30 dias para apresentar um relatório sobre a questão ao presidente Lula. Além de questões ambientais, pesarão na decisão do grupo questões comerciais.Como lembrou Rodrigues, por esse motivo o ministério do Desenvolvimento, Indústriae Comércio foi convidado a indicar um representante para o grupo. Além de Agricultura,Meio Ambiente e Desenvolvimento, compõem o grupo os ministérios da Saúde, Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Agrário, Segurança Alimentar e Justiça.A coordenação do grupo é da Casa Civil. O ministério da Agricultura indicou o secretário-executivo, José Amauri Dimarzio, para o grupo, mas o próprio ministro Rodrigues participará da reuni0ão desta sexta com Lula.

Agencia Estado,

05 de março de 2003 | 16h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.