Governo e empresários do PA se opõem a reserva florestal

A criação pelo Ministério do Meio Ambiente da maior reserva extrativista do país, no sudoeste do Pará, está provocando protesto antecipado dos empresários paraenses e do governador Almir Gabriel (PSDB), que consideram a idéia uma clara tentativa de engessar a economia estadual.Pelo menos quatro hidrelétricas, incluindo a de Belo Monte, que será a maior do país quando estiver concluída, em 2010, ficariam dentro da nova reserva florestal. Verde para semprePrevista para sair do papel até maio deste ano, a reserva denominada Verde Para Sempre, terá 2,3 milhões de hectares - maior do que todo o Estado de Sergipe - e ocupará terras pertencentes aos municípios de Uruará, Medicilândia, Vitória do Xingu, Prainha e Porto de Moz.Para Almir Gabriel, a reserva, da forma como está sendo concebida, criaria praticamente ?um novo Estado dentro do Pará", inviabilizando a implantação de novos projetos numa região de enorme potencial produtivo. VazamentoOs Ministérios do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Agrário vinham tentando manter o assunto em sigilo, mas o caso acabou vazando no último final de semana, em Belém, pelo coordenador técnico do Centro Nacional de Desenvolvimento Sustentado das Populações Tradicionais (CNPT), órgão ligado ao Ibama, Écio Rodrigues. Ele revelou que os ministros José Sarney Filho e Raul Jungmann pretendem oficializar a criação da área antes de deixar os cargos que ocupam no governo, no máximo até o dia 6 de abril, prazo previsto para desincompatibilização pela Justiça Eleitoral.Rodrigues adiantou não ser intenção do governo federal coibir o desenvolvimento de atividades econômicas dentro da reserva, mas isso só poderá ser feito com o prévio consentimento dos moradores da região.

Agencia Estado,

04 de fevereiro de 2002 | 18h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.