Governo lança plano de combate a praga vinda da China

O Ministério do Meio Ambiente lançou um plano de ação emergencial para conter a proliferação do mexilhão dourado, molusco originário da China que se transformou em praga no Brasil. O mexilhão vive em água doce e, na ausência de um predador natural, causa danos como a obstrução de tubulações, filtros e sistemas de resfriamento em redes de água, indústrias e usinas hidrelétricas.Os principais focos estão na região metropolitana de Porto Alegre e em Ilha Solteira (SP). É lá que o ministério vai centralizar a campanha para controlar a praga, com a divulgação de informações sobre o assunto. Após 90 dias, a idéia é definir regras para que a Marinha possa fiscalizar embarcações.O molusco chegou à América do Sul em 1991, provavelmente na forma de larva, no interior de navios. A espécie veio na chamada água de lastro ? que é transportada no interior do casco para dar equilíbrio à embarcação. Hoje sua dispersão ocorre principalmente por barcos, muitos deles transportados por via terrestre, de um rio para outro.Para evitar a dispersão, a campanha ensina que os cascos das embarcações e os próprios reboques devem ser lavados com água sanitária ou jatos de água quente. Da mesma forma, embarcações que transitam por rios infestados e não-infestados devem ser pintadas com tinta especial para evitar que sirvam de vetor para a praga.

Agencia Estado,

23 de abril de 2004 | 15h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.