Governo não quer vender no Brasil soja transgênica

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, que integra o grupo de trabalho que busca uma solução jurídica para o que fazer com a soja transgênica colhida no País na safra 2002/2003, disse nesta sexta-feira que o governo quer evitar a venda de parte desse produto geneticamente modificado no mercado interno.?Se possível, não queremos vender nada aqui dentro?, disse ele, assegurando que, com essa solução, o governo ?não está abrindo a porta? para as irregularidades (plantação e venda de sojatransgênica). ?Ao contrário, vamos fechar a porta daqui para a frente?, declarou o ministro, acentuando que a proibição ao plantio será mantida, como foi anunciado nesta quinta-feira pelo porta-voz da Presidência da República, André Singer, após a reunião ministerial em que foi definida a posição do governo em relação ao assunto.A exportação, com garantia dos agricultores de que deixarão de cultivar o produto transgênico, de acordo com o ministro, ?é a fórmula que o governo está encontrando para conciliar as duas coisas? ? não perder a safra, que poderá garantir recursos aos País, e não prejudicar os trabalhadores, que se dedicaram a essa plantação com a conivência do governo anterior, sem, no entanto, descumprir a legislação em vigor, queproíbe a comercialização de transgênicos.?Não podemos deixar de tentar salvar esta safra para exportação, porque isso vale alguns milhões de dólares?, declarou o ministro. Em seguida, no entanto, ele ressalvou: ?Por outro lado, precisamos fazer o acerto da preservação do meio ambiente, para que daqui para a frente as regras sejam obedecidas?.Questionado sobre se o governo iria punir quem plantou produto transgênico, o que é ilegal, o ministro respondeu: ?Isto não está ao alcance do governo. É uma questão de Justiça?.

Agencia Estado,

07 de março de 2003 | 18h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.