Greenpeace condena MP que libera soja transgênica

A organização internacional Greenpeace, através de sua representação no Brasil, emitiu uma nota em que condena a nova Medida Provisória editada na quinta-feira à noite pelo presidente LuizInácio Lula da Silva, liberando mais uma vez a produção e comercialização da soja transgênica no Brasil.A nota diz que "o maior problema de mais esta MP é que até hoje nem sequer foram apresentados os estudos de impacto da soja transgênica sobre o meio ambiente". O Greenpeace lembra que esta é a terceira que libera o produto no País.Segundo a nota, a medida do governo fere umadecisão judicial do Tribunal Regional Federal (TRF) de Brasília. "No dia 1.º de setembro, o TRF determinou que o plantio de soja transgênica permaneceria ilegal no Brasil enquanto a empresa responsável pela tecnologia não apresentasse os devido s estudos de impactos ambientais".O grupo considera "um desrespeito à sociedade brasileira permitir que um transgênico que não passou por uma avaliação ambiental adequada no País possa continuar sendo cultivado", segundo a bióloga Gabriela Couto, integrante da Campanha de Engenharia Genética do Greenpeace."Além disso, a MP desagrada mais de 80% da população, que não quer que os transgênicos sejam liberados no País", afirmou a bióloga, citada na nota.   leia mais sobre transgênicos

Agencia Estado,

15 de outubro de 2004 | 14h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.