Greenpeace denuncia contaminação industrial

Um relatório do Greenpeace, divulgado ontem, em Bali, Indonésia, durante a reunião preparatória para a Cúpula para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+10), traz 37 casos de problemas ambientais causados por grandes indústrias em todo o mundo. Entre eles, seis referem-se a contaminações no Brasil. Segundo Karem Suassuna, coordenadora de campanha da entidade no País, os casos ?mostram como as corporações multinacionais tentam maquiar seus danos ambientais e escapar de suas responsabilidades?. O relatório, chamado ?Crimes Corporativos?, inclui empresas químicas, petrolíferas, florestais, nucleares, de mineração e de engenharia genética. Os casos brasileiros são os da Shell (contaminação no Recanto dos Pássaros, em Paulínia, e na Vila Carioca, em São Paulo), Solvay (depósito de um milhão de toneladas de cal contaminada por dioxinas e furanos às margens da represa Billings, em Santo André, São Paulo), Bayer (incinerador de resíduos perigosos, em Belford Roxo, Rio de Janeiro), Rhodia (aterros de resíduos tóxicos ilegais e contaminação de trabalhadores na Baixada Santista, São Paulo) e Dow Química (contaminação do estuário do Guarujá, São Paulo). ?Todos os casos referem-se a multinacionais e mostram a inexistência de políticas de prevenção no passado, durante a época do desenvolvimento industrial no Brasil, o que acarretou graves heranças tóxicas. Esses crimes apontam claramente para a necessidade de um maior controle, monitoramento e responsabilização pelas atividades corporativas numa economia crescentemente globalizada?, disse Karen.O documento tem o objetivo de pressionar os governos mundiais a adotar os Princípios de Bhopal para Responsabilidade Corporativa, que consistem em uma relação de atitudes para assegurar que as empresas protejam os direitos humanos, garantam a soberania alimentar e promovam desenvolvimento limpo e sustentável. Esses princípios são uma referência ao pior desastre de origem industrial ocorrido no mundo, que matou milhares de pessoas na cidade indiana de Bhopal, em 1984, por conta de gases liberados durante um vazamento da indústria química Union Carbide.Segundo a coordenadora do Greenpeace, a entidade deverá estar lançando, ainda nesta semana, um relatório com os principais casos de contaminação industrial no Brasil, que será enviado às autoridades de todos os estados envolvidos.

Agencia Estado,

05 de junho de 2002 | 16h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.