Greenpeace devolve 1 tonelada de ração transgênica à Bunge

Um grupo de 20 ativistas do Greenpeace "devolveu" uma tonelada de ração com farelo de soja transgênica à Bunge Alimentos, em Porto Alegre, nesta quarta-feira. Os ambientalistas apresentaram um laudo emitido pelo laboratório Genescan do Brasil informando que a ração para frangos da marca Vitosan contém 4,5% de farelo de soja transgênica na composição.Eles querem que a Bunge deixe de usar organismos geneticamente modificados até que cumpra a lei e informe o consumidor sobre o conteúdo dos produtos. Também pedem ao governo o cumprimento da lei que exige rótulo para os produtos com mais de 1% de transgênicos."O governo não pode pensar na liberação do plantio comercial de transgênicos se não consegue fiscalizar e nem garantir o direito do consumidor de saber se está comprando um produto geneticamente modificado", disse a agrônoma Tatiana de Carvalho, do Greenpeace.Segundo o diretor corporativo de comunicação da Bunge Brasil, Adalgiso Telles, a ração Vitosan pode conter de zero a 14% de farelo de soja, conforme a formulação registrada no Ministério da Agricultura. "O laudo (apresentado pelo ambientalistas) não especifica o número do lote do qual foi retirada a amostra, nem a data de fabricação, nem o teor de farelo de soja contido naquela amostra específica", disse.

Agencia Estado,

17 de setembro de 2003 | 17h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.