Greenpeace faz manifestação contra programa nuclear

O Greenpeace encerra neste fim de semana em São Paulo a expedição "Brasil Não É Nuclear", que desde o dia 15 de março percorreu 18 cidades em 10 Estados brasileiros. O objetivo da iniciativa é alertar a sociedade contra a possibilidade de o governo retomar o Programa Nuclear Brasileiro, adiado por cinco anos, por enquanto.Conforme a assessoria de imprensa do Greenpeace, o Programa Nuclear Brasileiro consumiu até o momento cerca de US$ 40 bilhões e resume-se à construção das Usinas Angra 1 e Angra 2, no litoral do Rio de Janeiro.Caso o programa seja retomado, cerca de US$ 3 bilhões seriam aplicados na construção da Usina Angra 3, além de um submarino nuclear da Marinha e quatro minireatores nucleares, previstos para serem instalados no interior do Nordeste.Já foram gastos nessa nova fase cerca de US$ 750 milhões com acompra de equipamentos, que estão armazenados. O Greenpeace pede o cancelamento do programa nuclear.A expedição iniciou a jornada em Brasília, no dia 15 de março, depois passou por Goiânia, Belo Horizonte, Caetité (BA),Salvador, Recife, Campina Grande (PB), Juazeiro do Norte (CE), Juazeiro (BA), Vitória, Volta Redonda (RJ ), Rio de Janeiro, Angra dos Reis (RJ), Guarujá, Santos, Campinas, São Bernardo do Campo (SP), finalizando em São Paulo.A expedição está até este domingo na Praça da Paz, Parque do Ibirapuera, das 8 às 10 horas e das 16 às 18 horas. O principal chamariz éum balão de 25 metros, que realiza vôo cativo ancorado ao solo, com desenho representando o globo terrestre.As pessoas são convidadas a se aproximar, e até subir no balão, que está a 25 metros do solo, e de onde se tem uma vista panorâmica do ParqueIbirapuera.Mensagens contra o Programa Nuclear Brasileiro podem ser escritas e endereçadas ao presidente Luiz Inácio Lula d a Silva. Conforme a assessoria do Greenpeace, a idéia é entregar essas cartas ao presidente, oportunamente.

Agencia Estado,

07 de maio de 2005 | 18h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.