Greenpeace faz protesto diante do consulado da Rússia em SP

Ativistas do grupo ambientalista Greenpeace fizeram, agora pela manhã, uma manifestação diante do consulado da Rússia no Jardim Europa pedindo a adesão do País ao Protocolo de Kyoto. Os manifestantes estenderam uma faixa diante do consulado na qual se lia: "Putin, a Terra precisa do Protocolo de Kyoto". Além da faixa foi levada uma caneta de 2,50 m como presente de aniversário e gesto simbólico, para convencer o presidente Vladimir Putin a assinar o protocolo. O ato foi repetido em cidades de mais de 20 países. Os manifestantes foram recebidos pelo vice-cônsul da Rússia, Mikail Dukanin que afirmou que a mensagem do Greenpeace seria levada ao Ministério das Relações Exteriores do País. O Protocolo de Kyoto é um acordo que pretende reduzir as emissões globais de gases de efeito estufa. Após a decisão dos Estados Unidos não ratificar o acordo, a participação da Russia se fez essencial para que o protocolo entre em vigor. "A Rússia é responsável por aproximadamente 17% dos gases que causam efeito estufa e está sofrendo pressão de muitos países a aderir o protocolo. Mas ao mesmo tempo, Moscou negocia com empresas petrolíferas que não têm interesse na redução das emissões" disse o coordenador da campanha de energia do Greenpeace, Sérgio Dialetachi. Os manifestantes permaneceram por cerca de meia hora em frente ao consulado. A caneta feita de papel e plástico permaneceu encostada ao lado do portão da rua Groenlândia nº 808. O "presente" não foi aceito pelo vice-cônsul por medida de segurança.

Agencia Estado,

07 de outubro de 2003 | 12h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.