Greenpeace invade Bolsa de Petróleo de Londres

Cerca de 50 ativistas do Greenpeace invadiram nesta quarta-feira a Bolsa de Petróleo de Londres, que foi obrigada a suspender o pregão regular - limitando-se ao pregão eletrônico. O protesto marca a entrada em vigor do Protocolo de Kyoto."A mudança climática é a ameaça mais grave que nosso planeta jamais enfrentou, e ainda se negocia petróleo neste lugar com impunidade, como se a vida de milhões de pessoas e o futuro das espécies não importasse em nada", disse o diretor-executivo do Greenpeace, Steven Tindale.A queima de combustíveis fósseis por veículos e indústrias é considerada a maior fonte de gases causadores do aquecimento global, que ameaça provocar drásticas mudanças climáticas no planeta. Segundo o Greenpeace, o Protocolo de Kyoto só fixa "objetivos modestos para melhorar o clima".A invasão ocorreu por volta das 14h00 de Londres. A International Petroleum Exchange (IPE) fica no centro da capital britânica, e os ativistas tomaram o interior do edifício. Alguns corretores do mercado reagiram com agressões."Um ou dois de nossos voluntários foram feridos pelos corretores e um necessita tratamento hospitalar", relatou Tindale.  mudanças climáticas

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.