Gripe aviária atinge taxa de mortalidade de 52%

Com 131 casos humanos de infecção e 68 mortes, a gripe aviária está atingindo uma elevada taxa de mortalidade, de 52%, constatou a Organização Mundial da Saúde (OMS). Nesta quinta-feira, a própria OMS anunciou a terceira morte pelo vírus H5N1 na China.O país em que foram detectados mais casos até agora é o Vietnã, com 92 contágios e 42 mortes, seguido de Tailândia, com 21 e 13, respectivamente, e a Indonésia, com 11 e 7.No Camboja, dos 4 casos registrados pela OMS até agora, todos resultaram em mortes, enquanto na China foram confirmados quatro casos e três mortes.As vítimas humanas estão todas concentradas na Ásia, mas os vírus H5 já atingiram países em outros continentes, através da migração de aves selvagens. No caso da Grã-Bretanha, especificamente, o vírus chegou em aves de exibição que estavam em quarentena. - 54 pássaros morreram.As migrações fizeram com que aves infectadas atingissem, progressivamente, a Mongólia, o Cazaquistão, a Rússia asiática, Turquia, Romênia, Croácia, a Rússia européia, Kuwait e o Canadá.O temor de especialistas e da OMS é que o vírus H5N1 detectado nestas aves sofra mutações e passe a ser transmissível não apenas de aves para humanos, mas também entre humanos. As mais recentes projeções indicam que um novo H5N1 poderia causar a morte de cerca de 500 milhões de pessoas.   leia mais sobre gripe aviária

Agencia Estado,

24 de novembro de 2005 | 14h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.