Gripe aviária mata mais um; surgem novos focos

A última vítima da gripe aviária é uma mulher de 20 anos que vivia na Indonésia. A causa da morte, ocorrida no fim de semana, foi confirmada hoje pelo governo indonésio. Apesar da confirmação, a Organização Mundial da Saúde (OMS) ainda não incluiu essa morte nas estatísticas oficiais. Prefere aguardar o laudo de um de seus laboratórios afiliados. É o mesmo caso de uma jovem de 16 anos que morreu também na Indonésia na semana passada.Se esses dois casos forem confirmados pela OMS, subirá para 66 o número de pessoas que morreram desde 2003. Todas viviam em quatro países do sudeste da Ásia - Vietnã, Tailândia, Camboja e Indonésia -, onde as pessoas costumam ter contato direto com aves. Na Tailândia, o governo informou que um bebê foi infectado, mas já está se recuperando.No mês passado, focos da gripe aviária apareceram pela primeira vez na Europa e começaram a se espalhar pelo continente. Já foram identificados casos em países como Romênia, Turquia, Croácia e Itália. A doença está se propagando por meio de aves migratórias.A China identificou mais um foco em pássaros de uma granja no centro do país. É o nono caso em um mês. Cerca de 800 aves morreram por causa da doença. Parte dos milhares de pássaros da região, num raio de três quilômetros, foram sacrificados. Outra parte foi vacinada. Funcionários da OMS foram enviados ao país para investigar se foi a gripe aviária que matou uma menina de 12 anos e deixou doentes outras duas pessoas.No Vietnã, há a suspeita de mais dois casos: um estudante que teve sintomas após comer ovos de galinha e uma mulher de 78 anos que morreu de pneumonia. Cientistas do país, depois de várias análises, concluíram que o vírus está sofrendo mutações e se tornando cada vez mais resistente e contagioso. leia mais sobre gripe aviária

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.