Gripe aviária pode matar 50 mil pessoas no Reino Unido

Uma epidemia de gripe aviária poderia matar 50.000 pessoas no Reino Unido, advertiu hoje o médico assessor do Governo, Liam Donaldson. Em declarações à BBC, Donaldson admitiu que o número de vítimas no reino, de 61 milhões de habitantes, pode ser maior, o que dependerá do tipo de vírus da gripe. Segundo ele, as pessoas não têm imunidade natural porque a gripe aviária não passou antes pelo Reino Unido. Donaldson afirmou que a história sugere que o vírus da gripe aviária entrará em contato com um vírus de gripe humana, razão pela qual poderia se transmitido aos humanos de modo mais fácil."Isto aconteceu antes, em 1918, em 1958 e entre 1968 e 1969. Estas coisas vêm em ciclos naturais. A cada 10 ou 40 anos o vírus da gripe sofre uma mutação contra a qual não temos uma imunidade natural", acrescentou.Preparativos"Mas é muito o que podemos fazer para nos preparar. Se observamos a última epidemia, em 1968 e 1969, não tínhamos algumas das medidas que temos agora, como antivirais", ressaltou o médico assessor do Governo. Segundo ele, a epidemia não poderá ser evitada porque é um fenômeno natural. No entanto, destacou, é possível trabalhar para limitar seu impacto."Se fizermos comparações com a gripe de 1918 e 1919, quando 40 milhões de pessoas morreram no mundo todo, 250.000 delas no Reino Unido, estamos vivendo tempos muito diferentes. Aqueles eram os tempos antes das adequadas instalações hospitalares, antes dos cuidados intensivos e dos antibióticos", acrescentou.

Agencia Estado,

16 de outubro de 2005 | 11h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.