Grito das Águas forma fiscais ambientais mirins

O Movimento Grito das Águas, entidade que reúne 60 organizações não-governamentais ambientais, em parceria com a ONG mirim Movimento Infantil Guardiões das Águas do Universo (Mingau), começa nesta quinta-feira um programa para a formação de fiscais ambientais mirins. O grupo levará 200 crianças de Carapicuíba, cidade da Grande São Paulo, para conhecer um trecho do rio Tietê e aprender sobre os problemas ambientais que o envolve. Segundo Leonardo Morelli, coordenador do Movimento Grito das Águas, este é o primeiro passo para a formação dos fiscais, que serão crianças de até 10 anos. ?Levaremos as crianças para conhecer a nascente do Tietê, em Salesópolis. Elas vão acompanhar o percurso do rio até Carapicuíba?, explicou. O grupo começará a expedição às 8 horas, saindo da Escola Engenheiro Mário Salles, centro da cidade. No percurso, serão explicadas não só as causas da poluição do rio, mas também como ajudar a cobrar o poder público. ?Costuma-se mostrar que a população é responsável, mas se esquece de dizer que se o rio está poluído é porque o poder público não fiscalizou?, criticou. ?Ninguém explica que têm órgãos ambientais responsáveis por isso e que se chegou a esse estado é porque não fizeram nada?, completou. As crianças também vão aprender a redigir documentos e a quem enviar as queixas ? juizes, prefeitura, governo do Estado, secretarias e Ministério Público - , quando virem algo irregular. Para isso, haverá na segunda etapa do projeto uma visita à Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), prevista para a semana que vem. Na oportunidade, um grupo de 50 crianças deverá se reunir com a diretoria de poluição ambiental. Elas conhecerão o trabalho de fiscalização da entidade. Do grupo, serão selecionados os 10 fiscais mirins mais ativos. Eles ganharão uma viagem até Santa Catarina, para conhecer a região dos lagos catarinenses. O Movimento Grito das Águas, hoje atuante em vários estados brasileiros, começou justamente nessa região, lutando pela preservação dos lagos. Segundo Morelli, em Santa Catarina as crianças irão ver como as ONGs atuaram para a preservação das águas. A criança autora do melhor trabalho de fiscalização ganhará um computador e uma viagem para a França, pois 2003 será o ano mundial da água e haverá um evento em território francês, reunindo as ONGs ambientais de todo o mundo para discutir o problema. O Movimento Grito das Águas tem parceria com um centro de pesquisa francês, o Centre du Recherche Homme-Nature. Ambos integram ainda o International Global Waters Coalizion (IGWC).

Agencia Estado,

02 de outubro de 2002 | 15h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.