Grupo diz ter provado êxito do transplante de ovário

Pesquisadores israelenses dizem ter comprovado de forma definitiva que o transplante de células de ovário pode restaurar a fertilidade feminina depois de um tratamento contra câncer.Em uma conferência européia sobre fertilidade, em Copenhague, os cientistas do Centro Médico Chaim Sheba anunciaram que uma segunda mulher ficou grávida depois do transplante. No ano passado, uma belga, Ouarda Pouirat, tinha se tornado a primeira mulher a ter um filho após o tratamento.Na época, estudiosos céticos questionaram se Pouirat engravidou com um óvulo produzido pelo tecido transplantado ou pelos seus ovários - que poderiam ter voltado naturalmente a funcionar.No entanto, os pesquisadores israelenses dizem que a segunda paciente a se submeter ao tratamento já estava na menopausa na época da concepção. Portanto, o óvulo que foi fertilizado obrigatoriamente foi produzido pelo tecido transplantado.ConvincenteSegundo os pesquisadores do Centro Médico Chaim Sheba, a segunda mulher teve parte do tecido de seu ovário congelado depois de ter recebido a primeira fase de quimioterapia para tratamento de um linfoma. As demais doses da quimioterapia provocaram sua menopausa precoce.Depois que ela foi declarada livre da doença, foram implantadas faixas de tecido do seu ovário que tinha sido congelado. Enquanto o tecido original do ovário não respondeu ao tratamento com remédios de fertilização in vitro, o tecido transplantado respondeu.E foi desse tecido que os médicos israelenses disseram ter obtido os óvulos necessários para o tratamento de fertilização. Os israelenses vão publicar sua pesquisa no New England Medical Journal."Esse é um estudo muito convincente", disse Françoise Shenfield, especialista da University College London. "Todas as informações se aplicam, as evidências são muito claras."AlertaSherman Silber - o médico americano que, no início do mês, anunciou que tinha ajudado uma mulher que se tornara estéril na adolescência a ter uma filha usando tecido de ovário de sua gêmea idêntica - disse que todas as evidências somadas provam, além de qualquer dúvidas, que os transplantes restauram a fertilidade."A comunidade científica estava cética em relação ao estudo belga, porque a mulher tivera alguns ciclos ovulatórios antes do implante do tecido congelado", disse ele. "Por isso, talvez a gravidez tivesse sido por causa de seu tecido de ovário residual."No entanto, segundo ele, a pesquisa belga e israelense, junto com o trabalho dele, são conclusivas. "O tecido de ovário transplantado resulta, de forma inquestionável, em gravidez e ovulação normais."Segundo ele, as pesquisas recentes também demonstram os benefícios de preservar o tecido mesmo se uma mulher já tivesse começado quimioterapia.Porém, a doutora Shenfield alertou que seria importante assegurar que o tecido de ovário removido e congelado não contém células cancerosas que possam provocar o ressurgimento da doença quando o tecido for transplantado.

Agencia Estado,

23 de junho de 2005 | 10h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.