Guia em CD traz sons de sapos da Mata Atlântica

Está mais fácil, tanto para pesquisadores como para leigos, identificar as espécies de sapos, rãs e pererecas que vivem em algumas regiões da Mata Atlântica do Brasil. A partir do acervo de mais de 300 horas de gravação surgiu um guia sonoro que torna possível reconhecer a espécie pelo som que ela emite na natureza.?São quase 500 sons. Têm vários da mesma espécie, emitidos em momentos diferentes, como briga ou acasalamento?, explica João Giovanelli, aluno do último ano de Ecologia na Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Rio Claro, um dos participantes do projeto.Foi dele a idéia de transformar os registros das fitas cassetes e dos quase extintos gravadores de rolo em arquivos digitais no computador. ?Trabalhei quase dois anos nisso?, conta.LivretoO Guia Sonoro dos Anfíbios Anuros da Mata Atlântica não é composto apenas pelos sons desses vertebrados. Segundo Giovanelli, existe um livreto junto com o CD, com outras informações aos interessados. ?Há também informações sobre a história natural, o local onde foi feita a gravação e fotos dos animais?, diz.Os sons captados pelos pesquisadores foram obtidos basicamente em Santa Catarina, no sul da Bahia e, em São Paulo, no Vale do Ribeira e em Ubatuba. O projeto foi coordenado pelo professor Célio Haddad e contou com outros alunos do laboratório de herpetologia da Unesp em Rio Claro.Coletas de campoO produto lançado agora no Brasil pode auxiliar tanto os pesquisadores, em suas coletas de campo, como a qualquer interessado pelo tema que queira procurar, ou conhecer mais, sobre os anuros. ?Guias como esse são muitos comuns para aves?, explica o pesquisador.Agora o laboratório da Unesp começa a preparar outro projeto. ?Estamos reunindo material para fazer um guia sobre as cerca de 40 espécies de anuros que existem no Cerrado e no Pantanal?, explica Giovanelli.

Agencia Estado,

14 de setembro de 2005 | 11h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.