Guia ensina moradores de reservas criar animais silvestres

Moradores de reservas extrativistas poderão contar com um manual completo para criar animais silvestres e obter alimento e renda para as comunidades, com o apoio do Ibama. Elaborado pelo Centro Nacional de Desenvolvimento Sustentado das Populações Tradicionais (CNPT), o guia será lançado amanhã, em Belém, e traz informações técnicas e legais necessárias ao desenvolvimento da criação de fauna selvagem em regime extensivo e semi-extensivo. Este modelo está em experimentação desde o ano passado em duas reservas extrativistas federais na Amazônia, a Tapajós-Arapiuns, no Pará, e Cazumbá-Iracema, no Acre.Segundo Atanagildo de Deus Matos, diretor do CNPT, ?a criação de animais silvestres para a população das reservas representa uma importante alternativa alimentar e condição para que a fauna da região se recupere, pois, mesmo com a finalidade exclusiva da subsistência (tolerada por lei), a caça pode comprometer o futuro das espécies nativas, pois é feita sem orientação técnica?. Pesquisas mostram que entre 22% e 77% da dieta alimentar das comunidades extrativistas é suprida pela caça.No Brasil, existem 24 reservas extrativistas, que somam quase 5 milhões de hectares de áreas protegidas, onde a exploração dos recursos naturais segue parâmetros sustentáveis e as famílias têm garantia à terra. Conforme o Ibama, mais de 50 mil pessoas se beneficiam diretamente da existência dessas reservas.

Agencia Estado,

20 de março de 2003 | 11h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.