AP
AP

Hawking é hospitalizado em estado grave em Cambridge

Hawking, de 67 anos, ganhou fama por seus trabalhos teóricos sobre buracos negros

AE-AP, Agencia Estado

20 de abril de 2009 | 12h31

A Universidade Cambridge informou que o famoso matemático Stephen Hawking foi levado às pressas para um hospital hoje. Segundo a entidade, o estado de saúde de Hawking é grave. A universidade afirma que o pesquisador enfrenta uma infecção no peito há varias semanas. Ele foi levado hoje ao Hospital Addenbrookes, em Cambridge, ao norte da capital britânica.

Hawking, de 67 anos, ganhou fama por seus trabalhos sobre buracos negros. Ele permanece ativo, apesar de sofrer de uma doença motora neurológica desde sua juventude. Há alguns anos, Hawking permanece quase totalmente paralisado e ele só se comunica através de um dispositivo eletrônico, ativado por seus dedos.

 

O cosmologista se aposentou de sua cátedra na universidade em janeiro de 2009, mas seguiu fazendo estudos sobre o tempo e o espaço. Hawking era Professor Lucasiano de Matemática, título que já coube a Isaac Newton. Quando se aposentou, continuou como Professor Lucasiano Emérito.

 

A cátedra lucasiana foi fundada em 1663 por Henry Lucas, que deixou uma herança de 4.000 livros e terras que, ele esperava, gerariam uma renda anual de 100 libras para a universidade. O rei Charles II estabeleceu a posição oficialmente em  1664.

 

Isaac Newton foi o segundo detentor do posto. Paul Dirac, um dos fundadores da mecânica quântica, exerceu a função de 1932 a 1969. Hawking foi nomeado para a cátedra em 1979.

 

Seu livro de 1988, Uma Breve História do Tempo, foi best-seller internacional. Mais recentemente, foi co-autor, com a filha Lucy, do livro infantil George e o Segredo do Universo.

 

O cientista ganhou proeminência ao prever que buracos negros podem evaporar, eliminando energia sob a forma de radiação. Hoje em dia essa radiação, que ainda não foi confirmada experimentalmente, é conhecida como "radiação de Hawking".

Tudo o que sabemos sobre:
saúdeStephen Hawking

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.