Hawking lança <i>Brevíssima História do Tempo</i>

O físico britânico Stephen Hawking fez nesta quarta-feira, em Oviedo, o lançamento mundial de seu livro Brevíssima História do Tempo, 17 anos depois de ter escrito o bestseller História do Tempo, que vendeu milhões de cópias em mais de 20 idiomas.Durante o evento, na Universidade de Oviedo, Hawking reconheceu que muita gente teve dificuldade para compreender seu História do Tempo, de 1988, e que, por essa razão, elaborou esta versão "brevíssima" para o grande público.Ele assegurou que esta versão "não é mais curta". O novo livro "elimina os aspectos mais técnicos" e busca "um tratamento mais exigente do material que constitui o núcleo do ensaio, além de incorporar novos resultados teóricos e derivados da observação", afirmou ele.Brevíssima História do Tempo está saindo primeiro em espanhol, seis meses antes do lançamento previsto da edição em inglês, no Reino Unido e nos Estados Unidos. O cientista, de 63 anos, participou na terça-feira da abertura dos atos que lembram o 25.º aniversário dos Prêmios Príncipe de Astúrias, com que já foi agraciado em 1989.História do UniversoEm sua conferência de terça-feira, com o tema Retrocedendo na História, Hawking defendeu que é mais fácil prever o futuro do universo do que conhecer sua história. Ele explicou que a ciência desconhece o "estado completo do sistema" passado a ser estudado.O astrofísico propôs que o estudo da história do Universo se dê do presente para o passado, e não a partir do passado. "Conhecido o estado do Universo em um instante dado, há uma única história anterior que conduziu até ele", explicou.A razão pela qual não se pode usar a linha cronológica para o estudo da história do Universo, disse Hawking, se baseia na Segunda Lei da Termodinâmica, que estabelece que os sistemas evoluem para estados mais desordenados, "pela simples razão de que há muito mais estados desordenados do que ordenados".O cientista, que desde os 21 anos sofre de esclerose lateral - uma doença degenerativa -, fez a conferência em sua superequipada cadeira de rodas, com ajuda de um sintetizador de voz.

Agencia Estado,

13 de abril de 2005 | 16h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.