<img height="1" width="1" style="display:none" src="https://www.facebook.com/tr?id=1659995760901982&amp;ev=PageView&amp;noscript=1">

Hawking pode criar Teoria Quântica da Gravitação

O que o físico britânico Stephen Hawking vai apresentar na próxima quarta-feira, numa conferência internacional na Irlanda, pode ser o embrião de uma Teoria Quântica da Gravitação - o "Santo Graal da física teórica", segundo o professor Elcio Abdalla, do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP).Hawking fez um pedido de última hora para falar na Conferência Internacional sobre Gravitação e Relatividade Geral, em Dublin, dizendo ter resolvido o chamado Paradoxo dos Buracos Negros. Em síntese, o paradoxo está na tese de que o campo gravitacional de um buraco negro é tão intenso que a física quântica não pode ser aplicada a ele.Hawking não detalhou o que apresentará na conferência, mas estima-se que ele reveja sua teoria. Para Abdalla, isso poderá dar subsídios importantes para unir a Teoria da Relatividade Geral à mecânica quântica.Radiação e informaçõesPelo modelo clássico, os buracos negros são objetos formados a partir de estrelas colapsadas, em que a força gravitacional é tão grande que nada, nem mesmo a luz, consegue escapar de dentro deles. Em 1976, entretanto, Hawking propôs que um buraco negro, uma vez formado, começa a perder massa e emitir radiação - assim chamada Radiação de Hawking.Apesar disso, ele defendeu que essa radiação não contém nenhuma informação sobre o que está dentro do buraco. Ou seja, tudo o que é engolido pelo buraco negro - uma estrela, um planeta ou um grão de areia - seria perdido para sempre e não haveria como recuperar nenhuma informação de dentro dele.Mas isso é incompatível com as leis da mecânica quântica, segundo a qual as evidências sobre algo que existiu nunca podem ser apagadas totalmente.MistérioDaí o argumento de Hawking, de que o campo gravitacional de um buraco negro é tão intenso que a física quântica não pode ser aplicada a ele. E o paradoxo intrigou cientistas do mundo inteiro até hoje."Se você joga uma televisão dentro de um buraco negro, as informações sobre esse objeto se perderiam para sempre. Mas, uma vez que o buraco negro emite radiação, talvez isso possa dar alguma pista sobre o que se passa dentro dele", observa Luis Carlos Bassalo Crispino, da Universidade Federal do Pará.Segundo a revista New Scientist, o físico - famoso por estar confinado em uma cadeira de rodas e "falar" por meio de um computador - estaria pronto para admitir que as informações não se perdem e que a Radiação de Hawking, de fato, carrega parte vestígios do interior dos buracos negros. Ou seja, as informações não se perderiam.O mistério, entretanto, só termina na próxima quarta-feira.

Agencia Estado,

15 de julho de 2004 | 13h36

Selecione uma opção abaixo para continuar lendo a notícia:
Já é assinante Estadão? Entrar
ou
Não é assinante?
Escolha o melhor plano para você:
Sem compromisso, cancele quando quiser
Digital Básica
R$
0, 99
/ mês
No primeiro mês
R$ 9,90/mês a partir do segundo mês
  • Portal Estadão.
  • Aplicativo sem propaganda.
Digital Completa
R$
1, 90
/ mês
No primeiro mês
R$ 19,90/mês a partir do segundo mês
Benefícios Digital Básica +
  • Acervo Estadão 146 anos de história.
  • Réplica digital do jornal impresso.
Impresso + Digital
R$
22, 90
/ mês
No primeiro ano
R$ 56,90/mês a partir do segundo ano
Benefícios Digital Completa +
  • Jornal impresso aos finais de semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.