NASA via AP
NASA via AP

Helicóptero da Nasa faz primeiro voo em Marte; assista ao vídeo

Os controladores de voo da Califórnia confirmaram o breve salto do Ingenuity depois de receber dados através do rover Perseverance

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2021 | 09h21
Atualizado 19 de abril de 2021 | 20h37

FLÓRIDA — O helicóptero Ingenuity, da Nasa (Agência Aeroespacial dos Estados Unidos), fez um rápido voo nesta segunda-feira, 19, em Marte e se tornou a primeira aeronave motorizada a voar em outro planeta.

Às 4h34min de Brasília o aparelho de 1,8 quilo se elevou três metros sobre a superfície marciana e pousou depois de 39,1 segundos. 

Os dados e imagens do voo autônomo foram transmitidos à Terra, a 278 milhões de quilômetros de distância, onde foram recebidos pelo conjunto de antenas da agência espacial americana e processados mais de três horas depois. 

Os engenheiros acompanharam com tensão em seus monitores no Laboratório de Propulsão a Jato da Califórnia, onde a missão foi planejada durante os últimos seis anos.

Eles começaram a aplaudir quando um deles leu a lista de tarefas que o helicóptero havia realizado e concluiu: "Ingenuity fez o primeiro voo de uma aeronave motorizada em outro planeta".

O Ingenuity enviou rapidamente uma imagem em preto e branco de sua câmera de navegação que apontava para baixo e que mostra sua sombra, parecida com a de um inseto, projetada sobre a superfície.

O helicóptero viajou a Marte unido à parte inferior do rover Perseverance, que pousou no planeta em 18 de fevereiro em uma missão para buscar sinais de vida extraterrestre. 

Perseverance enviou um vídeo a cores que mostra a decolagem do helicóptero e o pouso alguns segundos depois. 

A agência espacial americana comparou a façanha desta segunda-feira ao feito realizado pelos irmãos Wright em 1903 na Carolina do Norte, Estados Unidos. Eles fizeram o primeiro voo controlado com um avião motorizado mais pesado que o ar. 

Em homenagem, a Nasa incluiu um pedaço do tecido do avião dos Wright no Ingenuity. 

"Conversamos durante tanto tempo sobre nosso momento ‘irmãos Wright’ em Marte e aqui está", afirmou a principal engenheira do projeto, MiMi Aung, a sua equipe.

Demonstração tecnológica

A agência havia programado o voo para 11 de abril, mas adiou por um problema de software que foi identificado durante um teste de alta velocidade dos rotores do helicóptero. 

O problema foi solucionado com uma atualização do software e a mudança do código do computador. 

Ao contrário do rover Perseverance, o objetivo do Ingenuity é apenas demonstrar que sua tecnologia funciona. O aparelho não contribuirá para as metas científicas da missão para compreender melhor as características de Marte.

Especialistas acreditam que o helicóptero pode abrir caminho para futuras naves que revolucionem a exploração de corpos celestes ao alcançar áreas que os rovers não podem ir e ao viajar muito mais rápido.

"Não sabemos exatamente até onde o Ingenuity nos levará, mas os resultados de hoje indicam que o céu - ao menos em Marte - pode não ser o limite", afirmou o administrador em função da Nasa, Steve Jurczyk.

O horário do voo do helicóptero foi escolhido levando em consideração o clima de Marte.

O voo foi um desafio porque o ar em Marte é muito rarefeito: menos de 1% da pressão da atmosfera da Terra. Isto torna a elevação muito mais difícil de alcançar, embora fosse parcialmente ajudado por uma atração gravitacional que é de um terço em relação à Terra.

O Ingenuity foi deixado em sua zona de voo em 3 de abril. A janela programada de testes é de 30 dias solares marcianos (31 dias terrestres) e a missão está agora em seu 16º dia solar marciano. 

A equipe continuará recebendo e analisando dados nos próximos dias, e depois planejará o segundo voo, que não acontecerá antes de 22 de abril. 

"Vamos tomar um momento para celebrar nosso sucesso e depois vamos seguir o exemplo de Orville e Wilbur (Wright) sobre o que fazer a seguir", disse Aung. "A história mostra que eles voltaram ao trabalho - para aprender o máximo que conseguiriam sobre seu novo avião - e nós também faremos isto"./AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.