Heloisa Helena: "Há muita mentira sobre transgênicos"

Voto contrário à Lei da Biossegurança, a senadora Heloisa Helena (PSol-AL) endossa a posição de que não há pesquisas confiáveis sobre tecnologias como células-tronco e transgênicos. "Há muita mentira sobre transgênicos", diz a senadora, em entrevista à repórter Rosa Costa, da Agência Estado.AE - Por que a senhora é contrária à aprovação dessas pesquisas?Heloisa Helena - Eu me nego a discutir as células-tronco fora do projeto de reprodução assistida. Até porque todos os que queriam a reprodução dos transgênicos se aproveitaram da dor das mães que têm crianças com deficiência para passar a liberá-los. Sobre os transgênicos, existe muita mentira, supostamente baseadas em argumentos científicos. Mas não houve a necessária confrontação entre os argumentos científicos, ambientais, de saúde, de mercado, de economia e produção.AE - Os que defendem os transgênicos afirmam que seus opositores terminam por defender os agrotóxicos.Heloisa - A diminuição do uso ocorre apenas nos dois primeiros anos. Houve aumento da utilização no Rio Grande do Sul, onde predominantemente se usa a soja transgênica, e diminuição de 47% no uso no Paraná, onde essa soja está proibida.AE - Se a células-tronco fossem discutidas em outro momento, a senhora apoiaria?Heloisa - Só discuto no debate da reprodução assistida. É preciso ter em conta que isso mexe com o conceito de vida. Não podemos iludir milhares de mães, como se as células-tronco significassem novos alentos para cura de doenças. Isso não é verdade. Existe muita produção científica dizendo exatamente o contrário.AE - As células-tronco envolvem questões religiosas?Heloisa - Envolvem questões éticas, filosóficas, científicas e religiosas. É um debate de alta complexidade. O que é inaceitável é que muitas pessoas se esconderam atrás disso para liberar os transgênicos.   leia mais sobre células-tronco   leia mais sobre transgênicos

Agencia Estado,

08 de outubro de 2004 | 00h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.