Ricardo Arduengo/AFP
Ricardo Arduengo/AFP

Histórico telescópio de Arecibo desmorona após 57 anos de operação

Dois cabos que seguravam a estrutura do equipamento quebraram por razões desconhecidas

AFP, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2020 | 17h19

SAN JUAN  - O famoso telescópio Arecibo, usado por astrônomos de todo o mundo e que permitiu a descoberta dos primeiros planetas em órbita em torno de outras estrelas que não o Sol, entrou em colapso na terça-feira, 1º, após 57 anos de operação.

"A plataforma entrou em colapso de uma forma não planejada", disse à AFP Rob Margetta, porta-voz da Fundação Nacional de Ciência dos Estados Unidos, que financia o observatório localizado em Porto Rico. Dois cabos segurando as 900 toneladas de instrumentos do telescópio acima da antena esférica de 305 metros de diâmetro quebraram em 10 de agosto e 6 de novembro por razões desconhecidas. A queda dos cabos danificou a antena.

Após esses incidentes, o telescópio foi considerado instável e irrecuperável, por isso a instituição anunciou seu desmantelamento. Desde então, o acesso a ele foi proibido por receio de um desabamento, o que na prática acabou acontecendo nesta terça-feira por volta das 8h locais. "É um desastre absoluto", disse à AFP com indignação o professor Abel Méndez, diretor do Laboratório de Habitabilidade Planetária da Universidade de Porto Rico em Arecibo, no norte da ilha. “Muitos alunos se formaram em astronomia no observatório, o que lhes deu a inspiração para buscar um diploma em ciências ou astronomia, como foi o meu caso”, acrescentou.

Todos os astrônomos do planeta poderiam pedir para usar o radiotelescópio por um certo tempo para fazer suas observações à distância, explicou Méndez. Ao contrário dos telescópios ópticos, os radiotelescópios funcionam dia e noite, mesmo em céu nublado.

Arecibo foi também um dos principais radares de observação de asteróides que se aproximam da Terra, no âmbito do programa de defesa planetária da NASA. A agência espacial dos EUA tem acesso a pelo menos um outro radar, mas é menos poderoso.

Seu colapso mostra a deterioração da situação neste território norte-americano à beira da falência, duramente atingido nos últimos anos por furacões e cuja infraestrutura tem se reconstruído muito lentamente. "A perda de Arecibo é uma grande perda para o mundo, mas ainda mais para Porto Rico. É um emblema da nossa ilha", disse Méndez.

Uma cena de ação do filme de James Bond Goldeneye se passa no telescópio, e no filme Contato, uma astrônoma interpretada por Jodie Foster usa o observatório em sua busca por sinais extraterrestres.

O telescópio era um dos maiores do mundo. Em 1992 permitiu descobrir os primeiros exoplanetas, os que se encontram fora do Sistema Solar. Os primeiros mapas da superfície de Vênus também se devem a ele.

Astrônomos e cientistas lamentaram nas redes sociais o colapso do telescópio, apontando que foi "um dia triste para a astronomia".

O anúncio de seu desmantelamento há dez dias já havia chocado muitos astrônomos profissionais e amadores, especialmente no Twitter sob o rótulo "WhatAreciboMeansToMe" (o que Arecibo significa para mim). “Obrigado pelos vossos serviços, irmão”, tuitou esta terça-feira o Gran Telescopio de Canarias do outro lado do Atlântico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.