Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

HIV modificado ataca células de câncer

Pesquisadores da Universidade da Califórnia (UCLA) modificaram um HIV, vírus causador da aids, e programá-lo para atacar células de tumores cancerosos em vez de células do sistema imunológico. O experimento foi feito com camundongos e abre perspectiva para uma terapia genética contra o câncer.O HIV modificado foi encapado com outro vírus, o Sindbis, que ataca aves e insetos, e este "míssil" foi programado para atacar a glicoproteína P, que encobre as células dos tumores. Esta proteína expulsa das células tumorais vários medicamentos, atuando como escudo protetor do câncer.No estudo da UCLA, Irving Chen e sua equipe conseguiram ver um ataque a células de melanoma em pulmões de camundongos vivos. Mas tiveram sucesso também na caçada a quase uma dúzia de outras moléculas, incluindo células do cérebro e do sangue.Chen afirma, em artigo na Nature, que é possível programar o míssil genético para atacar qualquer proteína.Ele garantiu que não há motivo para temer o uso do HIV num tratamento, porque quase 80% dos elementos do vírus causador da aids são removidos. "As pessoas podem imaginar que é assustador usar o HIV numa terapia, mas neste caso (...) ele é apenas um mensageiro."A idéia de usar o HIV contra o câncer não é nova, mas a equipe da UCLA tornou-a efetivamente possível. Tentativas anteriores tiveram resultados limitados porque o HIV era usado isoladamente."Usualmente os pesquisadores tentam modificar um vírus em sua própria capa, mas ele morre ou fica tão deformado que não é mais capaz de infectar nenhuma célula", explicou Chen. Daí veio a idéia de acondicionar o conteúdo modificado na capa do Sindbis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.