Homem pode viver 120 anos satisfatoriamente, diz médico

Um ser humano pode perfeitamente viver 120 anos com atividade satisfatória e Cuba oferece as condições para isso, afirmou Eugenio Selman-Housein, médico próximo ao presidente Fidel Castro.Segundo ele, especialistas em genética confirmaram que os animais podem viver até cinco vezes o tempo necessário para se tornarem adultos. Como o homem é considerado um adulto aos 25 anos, "uma simples operação aritmética indica que pode ultrapassar os 120 anos", afirmou.Acrescentou que a motivação, a saúde, a atividade física, a cultura e o meio ambiente são elementos que influenciam a longevidade das pessoas, assim como o fator genético. Selman-Housein assegurou que Cuba oferece condições ideais para que as pessoas vivam muito tempo, "com um sistema social justo, essencialmente humano e solidário".Em entrevista publicada nesta terça-feira pelo jornal oficial Granma, Selman-Housein, presidente da Associação Médica do Caribe (Ameca), afirmou que em 2002 viviam em Cuba mais de duas mil pessoas com mais de 100 anos, das quais 338 moravam em Havana. Segundo dados oficiais, a esperança de vida em Cuba supera os 75 anos.De acordo com as informações oficiais, enquanto 52% dos cubanos no início da década de 1960 morriam antes dos 60 anos, atualmente 85% dos nascidos têm expectativa de superar essa idade.Selman-Housein preside "O Clube dos 120 anos" criado em Cuba em 2003 para acolher pessoas de qualquer idade e de todas as partes do mundo que desejem uma "longevidade satisfatória".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.