Homem teria chegado ao norte da Europa há 700 mil anos

Há 700 mil anos, o Reino Unido não existia da forma como aparece hoje nos mapas. A região estava conectada à atual Europa por uma grande quantidade de sedimentos, trazida principalmente pelos rios. O clima era agradável e, por ser uma fase interglacial, os hominídeos poderiam se aventurar pelo globo terrestre.Segundo artigo publicado na edição desta quinta-feira da revista Nature, foi exatamente o que ocorreu. O novo estudo aponta que naquele momento, pela primeira vez, os antepassados dos homens modernos chegaram ao que hoje se conhece por Inglaterra.A equipe de Simon Parfitt, do Instituto de Arqueologia da Universidade de Londres, datou artefatos de pedra encontrados no sudeste do país. O resultado surpreendeu: 700 mil anos. Até então, acreditava-se que o homem teria chegado por ali há 500 mil anos.Mas, segundo Will Roebroeks, da Universidade de Leiden, na Holanda - em comentário sobre o estudo na mesma edição da revista -, o conjunto de ferramentas de pedra encontrado agora não permite afirmar que hominídeos chegaram a viver naquela região por um longo período de tempo. Para ele, os hominídeos teriam passado por ali e retornado à atual Europa continental.Pelo novo estudo, o intervalo de tempo entre a ocupação do sul e do norte do continente europeu se torna bem menor. Os traços mais antigos de hominídeos encontrados até hoje no Velho Continente têm 800 mil anos e foram descobertos em Atapuerca, na Espanha.

Agencia Estado,

15 de dezembro de 2005 | 10h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.