Hominídeo de 4,5 milhões de anos pode ter sido bípede

Pesquisadores dos Estados Unidos e da Espanha estudaram fragmentos fósseis de nove indivíduos da espécie Ardipithecus ramidus, que podem ter sido primos do Homo sapiens há cerca de 4,5 milhões de anos.Essa não é a primeira vez que a espécie é estudada - o A. ramidus foi descrito em 1994. Agora foram encontrados pedaços de mandíbulas, dentes, mãos e pés no sítio arqueológico de As Duma, na Etiópia.A Nature mostra um dente canino pequeno e grosso, similar ao de outros ancestrais humanos, enquanto outros dentes, como molares, lembram os dos grandes primatas. Como poucos fragmentos do A. ramidus foram achados até hoje, pouco se sabe sobre ele.Para o principal autor do estudo, o paleoantropólogo Sileshi Semaw, da Universidade de Indiana, o achado confirma que hominídeos andavam sobre dois pés já naquela época.O meio acadêmico ainda discute quando alguns primatas deixaram de se locomover apenas usando as quatro patas para assumir a posição vertical, ainda que com uma caixa craniana pequena e poucas mudanças nos hábitos.O Ardipithecus é um dos candidatos ao posto, apesar de ainda se parecer muito mais com os chimpanzés do que com humanos. Outro que corre no páreo é o Sahelanthropus tchadensis, ou Toumai, com 6 ou 7 milhões de anos.

Agencia Estado,

19 de janeiro de 2005 | 19h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.