Hong Kong vacinará 250 mil pessoas contra gripe

As autoridades de saúde de Hong Kong vacinarão de forma gratuita 250 mil pacientes não hospitalizados contra a gripe comum, uma primeira barreira para frear um eventual contágio de gripe aviária, informou hoje a agência oficial Xinhua.Segundo um comunicado governamental, os fazendeiros que trabalham com aves e aqueles que participam dos sacrifícios também receberão estas vacinas em 23 centros disponibilizados para este fim. Entre os beneficiados por esta medida, também estão os pacientes pediátricos com doenças crônicas e os maiores de 65 anos.O número de beneficiados por esta campanha de vacinação aumentou este ano em 50 mil pessoas diante da chegada da estação fria em Hong Kong, entre janeiro e março. A proteção oferecida pela vacina começa a fazer efeito duas semanas após a injeção, e pode durar até um ano.Além disso, em Hong Kong houve a proibição de alimentar as aves silvestres nas áreas comuns das casas públicas, com multas de até 1.500 dólares locais (US$ 194), para evitar "a propagação de Germes". As áreas públicas da ex-colônia britânica estão sendo desinfetadas com maior freqüência, especialmente os mercados de aves vivas, restaurantes e lugares onde as aves se alimentam, para eliminar os excrementos, possível via de transmissão do vírus H5N1.O anúncio, ontem, dos três primeiros possíveis casos humanos na China, que ainda precisam ser confirmados através de análise de laboratório, está causando preocupação em Hong Kong, modelo de higiene em meio a uma das províncias chinesas mais perigosas, Cantão, devido ao costume culinário de cozinhar qualquer animal. As análises dos três possíveis casos humanos de gripe aviária podem demorar até três semanas para chegar, informou hoje o porta-voz da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Pequim.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.