Hospital se torna 1.º a permitir morte assistida na Suíça

Um hospital universitário da cidade de Lausanne, na Suíça, anunciou que vai permitir que pacientes em estado terminal tirem suas próprias vidas no local. Este é o primeiro hospital no país a permitir o procedimento, que é feito pela ingestão de um coquetel letal de drogas.A prática é legal na Suíça, mas apenas para pacientes que estejam em pleno domínio de seus faculdades mentais e que sofram de alguma doença incurável.Além disso, essas pessoas não podem estar internadas.A partir do ano que vem, no entanto, o hospital dará o direito aos pacientes que estiverem conscientes, doentes demais para serem levados para casa e que tiverem expressado o desejo de morrer.Com a decisão, os pacientes poderão contar com a assistência de um médico externo ou de um membro da organização pró-eutanásia suíça Exit. Os funcionários do hospital podem escolher se querem ou não estar presentes.Um porta-voz da instituição disse que a decisão foi tomada depois de três anos de consultas à Associação Médica Suíça e ao Comitê Nacional de Ética.Os dois órgãos determinaram que, para respeitar o desejo e a independência dos pacientes, a morte assistida só deve ser permitida em casos excepcionais e não se transformar em prática de rotina.

Agencia Estado,

19 de dezembro de 2005 | 10h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.