Hubble fotografa alinhamento raro de galáxias espirais

Os cálculos astronômicos indicam que a galáxia ao fundo está a 780 milhões de anos-luz da Terra

da Redação,

16 de setembro de 2008 | 14h55

O Telescópio Espacial Hubble capturou um raro alinhamento de duas galáxias espirais.A borda externa de da galáxia em primeiro plano, menor, destaca-se em silhueta diante da galáxia maior, ao fundo.   Tentáculos de poeira podem ser vistos expandindo-se para além do disco de estrelas da galáxia menor.   Essas estruturas do disco externo, que parecem desprovidas de estrelas, dificilmente se fazem visíveis, porque quase nunca há algo por trás para iluminá-las. Nunca antes astrônomos tiveram a oportunidade de enxergar a poeira a uma distância tão grande da borda luminosa do disco galáctico. Não se sabe se esse envoltório de poeira é uma característica das galáxias em geral.   Entender a coloração de uma galáxia e como a poeira afeta essa cor são cruciais para medir o verdadeiro brilho de uma galáxia. Ao determinar o verdadeiro brilho, os astrônomos conseguem determinar a distância que separa a galáxia da Terra.   Os cálculos indicam que a galáxia ao fundo está a 780 milhões de anos-luz. A distância entre as duas galáxias ainda não foi estabelecida, embora acredite-se que elas estão relativamente próximas, embora não próximas o bastante para interagir. A galáxia ao fundo tem o tamanho aproximado da Via-Láctea, e é cerca de 10 vezes maior que a do primeiro plano.   O Hubble está no espaço desde 1990. Ele foi posto em órbita pelo ônibus espacial Discovery. Em outubro de 2008, o ônibus espacial Atlantis deverá levar astronautas para uma última missão de manutenção do telescópio, que serra substituído, na próxima década, por um novo equipamento, mais moderno, o Telescópio Espacial James Webb.

Tudo o que sabemos sobre:
galáxiashubble

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.