Hubble fotografa detalhes de região formadora de estrelas

Sucessivas gerações de estrelas geram bolhas de gás e poeira em N11, na Nuvem de Magalhães

estadao.com.br

22 Junho 2010 | 18h10

A "Nebulosa Feijão", ou N11, uma nivem de gás onde nascem estrelas. HST/Nasa-ESA

 

Uma nova imagem do Telescópio Espacial Hubble - uma das maiores já divulgadas de uma região de formação de estrelas - destaca N11, parte de uma rede complexa de nuvens de gás e aglomerados estelares dentro de uma galáxia vizinha à nossa, a Grande Nuvem de Magalhães. Essa é uma das áreas de nascimento de estrelas mais ativas do Universo próximo.

 

A Grande Nuvem de Magalhães contém inúmeras bolhas de gás brilhante. Uma das maiores e mais espetaculares tem o nome de LHA 120-N11, e é informalmente conhecida como N11. O formato da nuvem, vista de longe, fez com que alguns observadores a apelidassem de "Nebulosa Feijão".

 

As características de destaque da nebulosa indicam formação de estrelas. N11 é uma região bem estudada, que se estende por mais de 100 anos-luz. Trata-se da segunda maior região de formação de estrelas dentro da Grande Nuvem de Magalhães, e produziu algumas das estrelas de maior massa conhecidas.

 

É esse processo de criação de novos astros que dá a N11 sua aparência característica. Três gerações sucessivas de estrelas, cada uma delas formada um pouco mais longe do centro da nebulosa que a anterior, criaram conchas de gás e poeira. Essas conchas foram sopradas para longe das estrelas recém-nascidas, criando formas de anel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.